terça-feira, 27 de junho de 2017

Oficiais dos EUA alertam que Rússia e Irã osrão responsabilizados se Assad lançar ataque de armas químicas !

Nikki Haley disse no Twitter: "Qualquer outro ataque feito ao povo da Síria será culpa de Assad, mas também da Rússia e do Irã, que o ajudam a matar seu próprio povo".
Seus comentários vieram quando a Casa Branca revelou que identificou potenciais preparativos pelo regime de Assad para outro ataque de armas químicas em seu povo.
O exército dos EUA acredita que os preparativos são semelhantes aos feitos antes do ataque de armas químicas da 4 de abril na Síria - uma afirmação de que o governo de Assad negou repetidamente.
O ataque - que matou pelo menos 87 pessoas, incluindo 30 crianças - aumentou as tensões entre Washington e a Rússia, que tem conselheiros na Síria ajudando seu aliado Assad.
O comunicado da Casa Branca disse: "Os Estados Unidos identificaram potenciais preparativos para outro ataque de armas químicas pelo regime de Assad que provavelmente resultaria no assassinato em massa de civis, incluindo crianças.
"Como já dissemos anteriormente, os Estados Unidos estão na Síria para eliminar o Estado islâmico do Iraque e da Síria [ISIS].
"Se, no entanto, o Sr. Assad conduz outro ataque de assassinato em massa usando armas químicas, ele e seus militares pagarão um preço pesado". 
Russia's Putin, Iran's president and Nikki Haley
O embaixador dos EUA, Nikki Haley, disse que a Rússia e o Irã também serão responsabilizados pelo ataque de armas químicas

Donald Trump culpou Assad pelo ataque de armas químicas que matou pelo menos 87 pessoas, incluindo 30 crianças, na província de Idlib, no norte da Síria, em abril.
E em retaliação, o presidente americano lançou 59 mísseis Tomahawk em uma base aérea síria - que, segundo o Departamento de Defesa dos EUA, destruíram 20% das aeronaves operacionais da nação.
A seguir, os comentários do brigadeiro-geral Zaher al-Sakat - que serviu como chefe de guerra química na poderosa 5ª Divisão da Síria até que ele desertou em 2013 - que Assad escondeu centenas de toneladas do arsenal químico da nação, apesar do líder ter dito todo o seu abastecimento para as Nações Unidas.
Em 2014, acreditou-se que a Síria entregou todo o seu arsenal químico à Organização das Nações Unidas para a Proibição de Armas Químicas (OPCW) depois de serem criticadas pelo envolvimento no ataque de gás sarin que matou centenas de pessoas em setembro de 2013.
Mas de acordo com o ex-general Assad, o líder sírio não declarou grandes quantidades de produtos químicos precursores de sarins e outros materiais tóxicos.
O general Sakat disse ao Telegraph: "Eles [o regime] admitiram apenas 1.300 toneladas, mas sabíamos, na realidade, que quase duplicaram isso. Eles tinham pelo menos 2.000 toneladas. Finalmente."


Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.pt/

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...